“O melhor lugar do mundo nunca foi um lugar.”
Eu me chamo Antônio 

Culpa da física.

Éramos tão opostos, que de tão opostos passamos a ser iguais. E você sabe, na física, os opostos se atraem, mas os que são iguais, ah, esses se repelem. 

“1. Lay on the floor of your shower until you can breathe again. Water will always love to love your skin.
2. Start writing with the intention of filling up one page. Write until your pen stops working.
3. Reread a book that once made you cry. Learn something new on every page. Notice how different chapters make you sad. Notice how the book didn’t change and grow; you did.
4. Sleep with your windows open. You can hear both the rain and boys drunkenly singing Frank Sinatra on their deck. Both are equally good.
5. Don’t forget that honey will always taste sweet, but the best way to eat it is off your fingers, laughing.
6. Remember that, sometimes, getting out of bed is enough.”
 For unhappy girls who like sitting in the sun (h.f.j.)
“‎Tive um vizinho que gritava com a namorada ao telefone, sem se importar que o prédio inteiro ouvisse: “Não sei o que fazer! Fico mal contigo e fico mal sentigo!”. Sempre achei essa situação desoladora, e nem estou falando do português do sujeito. É duro ter apenas duas alternativas (ficar ou ir embora) e ambas serem terríveis.”
Martha Medeiros.  (via florencear)

Arranje motivos para sorrir e tente esquecer os que te fazem chorar.


lovucky